O processo grupal no espaço escolar

O processo grupal no espaço escolar
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn

Pensando nessa complexidade intrínseca ao processo grupal, é na escola que geralmente temos a primeira experiência de formação e inserção dentro de grupos. Seja na formação de turmas imposta pela organização de séries e anos, seja por escolha individual, o processo é plenamente visível.

O grupo escolar, quando visto como um organismo único, pode revelar as reais necessidades e dar ao responsável (professor, monitor, educador) uma visão holística sobre o processo de ensino e aprendizagem daquela unidade. Por vezes, “porta-vozes” da turma podem revelar, por meio de atitudes e reações, alguns sinais ou sintomas do problema que a turma enfrenta como um todo.

A visão individualizada, como, por exemplo, o tratamento e rotulação dados a “alunos-problema”, nessa abordagem, deve ser evitada a fim de manter a unidade do organismo grupal. As ideias, proposições, dúvidas, dores e reclamações que surgirem dentro daquele agrupamento devem ser tratadas como características vindas não do porta-voz das informações, mas como manifestações geradas pela interação interna e orgânica do grupo em si e consigo mesmo.

Para o bom funcionamento da dinâmica do grupo operativo, a relativização do papel do docente também é de fundamental importância. Citando o psiquiatra e psicanalista argentino José Bleger

“Não se pode pretender organizar o ensino em grupos operativos sem que o pessoal docente entre no mesmo processo dialético que os estudantes, sem dinamizar e relativizar os papeis e sem abrir amplamente a possibilidade de um ensino e uma aprendizagem mútua e recíproca.”

É por meio da inclusão do professor como ser incompleto, despido do papel e do status frequentemente associados a ele, que o processo de indagação por parte dos membros do grupo progride. O abandono da presença onipotente do “detentor do conhecimento” faz com que a humanização permeie no grupo, fomentando assim a problematização de questões, o pensamento crítico e a busca por soluções inovadoras e não ortodoxas.

Fonte: https://educacaodofuturo.com.br/blog/

Notícias relacionadas!

Você pode gostar dessas outras notícias do Mundo da Educação!

Ensino híbrido para professores
A implementação da metodologia de ensino híbrido passou por transformações em decorrência da pandemia de Covid-19, po...
Brincar Transforma o Aprendizado
Brincar vai além da diversão, é a melhor maneira para estimular o aprendizado das crianças. A diversão engaja os pequ...
GIRASSOL PLENA INCLUSÃO
Rua Silveira Martins, 80 Catete CEP 22221-000 Rio de Janeiro - RJ - Brasil
Copyright © 202X
GIRASSOL PLENA INCLUSÃO
Rua Silveira Martins, 80 Catete CEP 22221-000 Rio de Janeiro - RJ - Brasil
Copyright © 202X
Atendimento por WhatsApp
Regina Celia
Diretoria
De Segunda a Sexta das 08:17:00
Atendimento por WhatsApp
Tânia Maria de Luca
Administração
De Segunda a Sexta das 08:17:00
Atendimento por WhatsApp
José Carlos Lira
Financeiro
De Segunda a Sexta das 08:17:00
Atendimento por WhatsApp
Regina Celia
Diretoria
De Segunda a Sexta das 08:17:00
Atendimento por WhatsApp
Tânia Maria de Luca
Administração
De Segunda a Sexta das 08:17:00
Atendimento por WhatsApp
José Carlos Lira
Financeiro
De Segunda a Sexta das 08:17:00

GIRASSOL PLENA INCLUSÃO

Copyright © 202X

Este site utiliza cookies para garantir que você tenha a melhor experiência. Ao clicar em 'ok" e continuar navegando, você concorda com a nossa política de privacidade